Intercâmbio na Inglaterra - Como é?

A possibilidade de conhecer outros países, vivenciar novas culturas e se acostumar com novos hábitos seduzem muitos brasileiros. Experiências como essa só tem a acrescentar em nossas vidas. Qual país você gostaria de conhecer? Quem sabe até morar. Você já cogitou a possibilidade de fazer um intercâmbio estudantil?

O Big Ben é o principal símbolo da Inglaterra

O intercambio estudantil é uma excelente oportunidade para aprendermos e/ou aprimorarmos idiomas estrangeiro, além de conhecermos novas culturas. Antes de fazermos tudo isso devemos escolher qual país nos abrigará.

Canadá e Austrália são destinos muito populares, assim como Inglaterra e Estados Unidos. A Inglaterra inclusive tem uma longa história de intercâmbios estudantis e apresenta condições culturais e sociais adequadas para uma experiência única. A Inglaterra compõe o Reino Unido junto com a Irlanda do Norte, Escócia e País de Gales.

Para evitar dores de cabeças envolvendo vistos, moradia e adaptação é sempre indicado que você procure uma escola especializada em intercâmbio, experiência  vale muito nessa hora. A Education First (EF) é uma boa indicação, com mais de 40 anos no mercado essa empresa é considerada a melhor quando se trata de intercâmbio. Você pode escolher algumas opções dependendo da cidade que você ficar.

Em Manchester, por exemplo, você terá três opções cedidas pela EF. Você poderá ficar com famílias anfitriãs que se dispõe a ceder moradia e alimentação no tempo que durar seu intercâmbio. Outra opção cedida é a residência estudantil da EF, com quartos individuais em apartamentos compartilhados, com piscina e academia. Se quiser um pouco mais de independência a EF pode ajudá-lo a alugar uma vaga em apartamento compartilhado.

Ainda falando de Manchester, a sede da escola fica em um casarão em estilo Vitoriano. Dentro da residência existem salas equipadas laboratórios de idioma on-line. Na Inglaterra você poderá ficar em sete cidades, Londres, Oxford, Manchester, Cambridge, Bristol, Brighton e Bournemouth. A UF faz intercâmbios estudantis em Londres desde 1965.

Não quero mais voltar

Alguns brasileiros se adaptam tão bem aos países estrangeiros que sofrem quando fazem o retorno ao Brasil. Esse sofrimento é denominado “síndrome do regresso”. Esse problema chega ser alarmante. O Itamaraty lançou o “Guia de Retorno ao Brasil”, distribuídos em embaixadas, para tentar minimizar o choque cultural do regresso.


Recomendamos: