Como fazer acordo de dívida com o banco

Elas começam quando estamos bem financeiramente, ou não, começam aumentar mais ainda quando achamos que podemos assumir, com folga, uma nova dívida, o que naturalmente desencadeia uma sequência de mais dívidas. Quando vamos analisar a fatura, até o valor mínimo fica difícil pagar. A solução? É muito fácil dizer e tão complicada praticar: Deixar de gastar. Entretanto, muitos não conseguem e acabam criando dívidas estratosféricas, ficando totalmente incapazes de pagá-las, no entanto, abaixo seguem algumas dicas de como “tentar” negociar essa dívida com seu banco.

Neste caso, seria melhor nunca ter aceitado a ideia de criar cartões de crédito, mas como o desastre já está feito, não há formas de fugir dele, então vamos ver como tentar diminuir essa grande dívida, que cresce muito mais a cada pagamento mínimo da fatura, certo? Em primeiro plano, tenha em mente que você não conseguirá negociar da melhor forma possível sózinho, ou seja, será de extrema importância você estar acompanhado de um advogado, que lhe orientará da melhor forma possível, assim como saberá negociar a dívida junto ao banco e você.

Negociando com o banco

Apesar da maior recomendação ser um advogado, você também será capaz de negociar a dívida, mais da forma mais agradável para o banco e não há você. Neste caso, o banco fará um proposta a você, que será, inicialmente, o parcelamento dessa divida. Geralmente, os bancos parcelam em até 36 vezes, por tanto, se as suas dívidas forem muito altas, as parcelas também serão.

Se você procurar um advogado, tenha em mente que será muito importante que ele tenha conhecimento da real dívida que você tem, ou seja, tudo que colaborou para o surgimento dela, assim como os pontos mais importantes no aumento dessa dívida, pois assim ele saberá lhe orientar e ajudará, melhor que ninguém, negociar essa dívida a um valor mais acessível do que ela é.

Dica rápida

Muitos não confiam nesse método, mas existem muitos comentários na Internet mencionando uma forma para negociar uma dívida com mais facilidade. No caso, você deverá pagar ao banco o valor nominal da sua dívida, isto é, depositar centavo por centavo do que a dívida vale, sem nenhum real de juros a mais. Então, todo o resto que ficar faltando serão os juros, que você deverá ter paciência e, muito provavelmente um advogado ou pessoa com especialidade (Um economista, talvez…) em dívidas e pagamentos para conseguir quitar com o menor valor possível.


Recomendamos: