Hiperidrose Axilar - Conheça a cirurgia e o tratamento

O excesso de suor nas axilas é mais do que uma doença física ela causa grande desconforto social, saiba como tratá-la.

O mau cheiro na axila é um problema corriqueiro para quem pratica esporte constantemente, mas uma pequena parcela da população possui um problema muito mais sério, hiperidrose axilar. Essa doença é caracterizada pelo excesso de suor na região das axilas, causando irritações, um forte mau cheiro, sujando as roupas e causando um grande desconforto social. É mais comuns em homens do que em mulheres.

Tratamento

Esse problema deve ser tratado conforme a gravidade, em casos leves pode ser tratada com medicamentos tópicos, iontoforese e/ou psicoterapia. Mas em casos mais severas algumas opções se tornam a última que realmente pode trazer resultados positivos.

O tratamento com Toxina Botulínica (BOTOX®) é um deles. A aplicação dessa toxina nas áreas afetadas, como mãos ou axilas acaba com o suor durante alguns meses, de 6 a 12 meses. O procedimento não precisa de intervenção cirúrgica, o paciente pode voltar para sua rotina no mesmo dia. Somente um dermatologista pode prescrever esse tratamento.

Outra alternativa é a cirurgia de ressecção das glândulas sudoríparas axilares. Nesse caso é necessária uma intervenção cirúrgica. As glândulas são removidas através de duas pequenas incisões de 1 cm de cada lado. A cirurgia se limita ao plano cutâneo, não atingindo estruturas nobres e profundas do corpo, portanto, além de agir diretamente sobre a causa da hiperidrose (a hiperatividade das glândulas sudoríparas) esta técnica não apresenta riscos a outros órgãos e pode ser realizada sob anestesia local.

Os maiores inconvenientes dessa doença são a eliminação de muitos folículos capilares da axila e pequena áreas de necrose na axila.


Recomendamos: