Medicamento para emagrecer causa dependência ou não?

Remédios desse tipo são restritos a maioria das pessoas.

Até onde vai sua vontade de emagrecer e ficar em forma? Sua vontade passaria pela sua saúde? Muitas pessoas as vezes esquecem que estética não é sinônimo de ser saudável. Nesses casos o abuso de remédios para emagrecer ou o uso de anabolizantes são extremamente prejudicial a nossa saúde. Existem alguns mitos e verdades em relação ao uso de remédios para emagrecer.

Noradrenalina

Antes de qualquer explicação ou análise referente aos remédios para emagrecer devemos entender como nosso metabolismo age. Em torno de 70% da queima calórica acontece em ações do nosso organismo (respirar, transpirar, no funcionamento de nossos órgãos entre outras) sem ações voluntárias de nossa parte. Levando em conta que cada ser humano tem um valor diferente em relação a seu gasto calórico.

A outra parte de nosso metabolismo funciona através do estimulo físico e pode ser acelerado com uma rotina saudável de exercícios. Muitas pessoas no desespero de se tornarem magras e esteticamente aceitas pela sociedade acabam apostando em remédios para emagrecer. O problema é que remédios como esse são somente indicados em casos de obesidades, e não mais que isso. A maioria possui um hormônio chamado Noradrenalina que age no centro de nosso cérebro reduzindo o apetite. Parece ótimo. Só parece na verdade. Boca seca, alterações de humor, dor de cabeça, insônia, taquicardia, euforia, falta de ar, hipertensão, irritação são apenas alguns dos efeitos colaterais.

Na maioria dos casos esse tipo de medicamento não vicia, é o que afirma o endocrinologista e consultor Alfredo Halpern ao programa Bem Estar. Ênfase na palavra maioria. Remédios desse tipo são contra indicados para viciados em álcool e/ou drogas, ainda de acordo com o especialista.


Recomendamos: