Multa por embriaguez ao volante passa de R$ 957,70 para 1.915,40

O que antes custava R$ 957,70, agora passa a custar R$ 1.915,40. Isso mesmo, a multa por embriaguez ao volante foi dobrada. E, caso o motorista tenha cometido a mesma infração nos 12 meses anteriores, a multa será dobrada em relação ao novo valor, passando de 1.915,40 para R$ 3.830,80.

Evitar a tentação de consumir bebidas alcoólicas e sair com os amigos para bares e baladas são algumas das dicas que damos aos motoristas que não pretedem assumir uma “divida dobrada” de exatos R$ 1.915,40. O valor que antes era de R$ 957,70, passou para R$ 1.915,40 e, mais! A multa de R$ 1.915,40 é dobrada caso o motorista tenha cometido a mesma inflação nos 12 meses anteriores, passando para R$ 3.830,80.

A multa será cobrada independe do teor de álcool detectado no sangue!

Os cuidados dos motoristas devem estar ainda mais redobrados, isto é, evitando o consumo de qualquer tipo de bebida alcoólica ou substâncias psicoativas, pois a multa será cobrada independe da quantidade de álcool detectada. Neste caso, é válido lembrar que o crime de conduzir o veículo embriagado só é constatado por uma concentração igual ou superior a 0,6 gramas de álcool por litro de sangue.

Opinião do ministro da saúde:

“Apertar a lei seca e apertar a fiscalização da lei seca pode salvar vidas no nosso país e pode reduzir também o número de pessoas que ficam com deficiências físicas ou outros tipos de deficiências em decorrência de acidentes de carro ou de moto”

A lei que era fraca, foi reforçada!

Agora a lei está reforçada, pois antes os motoristas podiam recusar o teste do bafômetro, certo? Ainda podem, entretanto, os casos por embriaguez ao volante poderão ser comprovados por meios alternativos, o que reforçará a qualidade da lei. Neste caso, a comprovação da embriaguez ao volante poderá ocorrer por “teste de alcoolemia, exame clínico, perícia, vídeo, prova testemunhal e outros meios de prova admitidos em direito”.

Em contra-partida, o motorista indiciado terá o chamado “direito à contraprova”. Em outras palavras, caso ele não concorde com os resultados dos testes obtidos através dos exames citados no parágrafo acima, poderá solicitar o teste de bafômetro e, então, comprovar a inexistência de substâncias alcoólicas no sangue.


Recomendamos: