Por que líquidos e alimentos gelados dão dor de cabeça?

Será que a sensação de dor e congelamento do cérebro é resultado de um choque térmico ou existe uma outra hipótese? Veja porque isso, realmente, acontece!

Será que a tese “Sentir dor de cabeça após beber ou consumir algum alimento muito gelado é resultado de um choque térmico”, é verdadeira? Em parte pode parecer que sim, mas na verdade, estudos recentes mostraram que essa sensação pode ter relação com o fluxo sanguíneo do cérebro.

A sensação de “gelar” a cabeça após beber um refrigerante muito gelado, ou mesmo ao consumir um sorvete, pode estar ligado diretamente à artéria cerebral.

Um estudo, realizado com 13 adultos, mostrou que, ao causar essa sensação de “gelar” o cérebro, houve um aumento abrupto no fluxo sanguíneo da artérial cerebral anterior. A “dor” ou sensação de “gelo” no cérebro sumiu logo após a artéria se contrair. Neste caso, o método utilizado pelos pesquisadores para causar essa sensação nos voluntários foi: Tomar água muito gelada por um canudo.
O Choque Térmico
Segundo os comentários de milhares de pessoas na Internet, essa sensação é causa por dois motivos: A temperatura do nosso corpo, que gira em torno de 36/38 graus celsius, e a temperatura do líquido ou alimento, que pode estar, por exemplo, com 15 graus celsius, ou menos ainda. Ao juntar as duas temperaturas aconteceria o chamado “Choque Térmico”, onde o líquido gelado provocaria, imediatamente, uma sensação de congelamento do cérebro.
A verdade
Mas, na verdade, isso é o que dizem, pois os novos estudos estão provando que beber um líquido muito gelado ou consumir um sorvete, causa um dilatamento instantâneo da artéria cerebral anterior, o que, consequentemente, inunda o cérebro com sangue, resultando em uma leve pressão sobre o cérebro e, por fim, trazendo a sensação de congelamento e dor que conhecemos.
O tratamento
Se as suspeitas forem confirmadas, haverá possibilidades de criar um método para evitar e controlar essa sensação de dor e congelamento. Segundo Jorge Serrador, o autor do estudo e professor em Harvard: “Drogas que bloqueiam a vasodilatação súbita ou canais alvo envolvidos especificamente na vasodilatação poderia ser uma forma de mudar o rumo das dores de cabeça”.


Recomendamos: